Associação de Estudantes da Faculdade de Medicina de Lisboa
Ress 20 04

Como praticar sexo seguro? É um tema ainda muito pouco abordado no nosso plano de estudos, acabamos por aprendê-lo ao falarmos de contracepção em diversas cadeiras. Contracepção é impedir a concepção; sexo seguro ultrapassa este conceito. Para a espécie humana, o sexo tem como objectivo, mais do que a reprodução, o prazer. Para poder tê-lo sem outro baby boom, a sociedade procurou a contracepção. A procura actual de uma vida hedonista, por outro lado, implica que seja necessário conhecermos práticas de sexo seguro.

Com o boom do Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH) nos anos 80, muito associado aos homens que fazem sexo com homens (HSH), este grupo rapidamente foi considerado de risco, tendo sido muito sensibilizado para a prática de sexo seguro. Todavia, tal não aconteceu com mulheres que fazem sexo com mulheres (MSM), talvez por neste grupo existir uma menor prevalência de VIH e outras infecções sexualmente transmissíveis (IST) graves. Independentemente da explicação, na prática, existe hoje muita desinformação tanto pública como da comunidade médica sobre IST em MSM.

Que doenças são transmissíveis entre MSM? (1)

As mesmas que em HSH, apesar da epidemiologia das mesmas ser diferente. Porém, as MSM vigiam menos frequentemente a sua saúde sexual, quer por receio de discriminação por parte dos serviços e profissionais de saúde, quer por desconhecimento dos mesmos sobre sexo seguro nesta população. Este grupo tem também mais relações de risco (não protegidas).   

Quais os factores de risco para IST em MSM? (1,2,3,4,5)

Elevado número de parceiros/as, brinquedos sexuais não higienizados, tabaco, relações com utilizadores de drogas injectáveis, sexo forçado, prostituição.

E factores protectores? (1)

Utilização de métodos barreira, rastreio médico (serologias, citologia e inspecção do colo uterino), vacinação contra o Vírus do Papiloma Humano (HPV).

A seguinte tabela sintetiza alguns dados recolhidos numa pequena revisão da literatura (ainda são escassos os estudos sobre este tema) (1,2,3)

Tabela MSM

Legenda:
IST: Infecção sexualmente transmissível
MSM: Mulheres que fazem Sexo com Mulheres;
MSH: Mulheres que fazem Sexo com Homens;
VIH (Vírus da Imunodeficiência Humana);
VHS (Vírus
 do Herpes Simplex);
VHA (Vírus da Hepatite A);
VHC (Vírus da Hepatite C);

Como podem os médicos promover práticas de sexo seguro em MSM? (1)

Oferecendo o mesmo tipo de cuidados que a mulheres que fazem sexo com homens (MSH).

O médico deve:

  1. Fornecer informação acerca de práticas de sexo seguro: existem métodos contraceptivos barreira que podem ser utilizados durante relações oro-genitais (p.ex. dental dam – à venda em lojas de material dentário, preservativos) ou digito-genitais (p.ex. luvas – poucos estudos realizados ainda). A limpeza de brinquedos sexuais deve ser incentivada. Importa também realçar que pode ocorrer transmissão do Vírus do Herpes Simplex através de relações oro-genitais, devendo estas ser evitadas caso a infecção esteja activa.
  2. Combater o tabagismo.
  3. Oferecer rastreios (seguindo as mesmas indicações que em MSH): HPV, citologia do colo do útero, serologias.
  4. Incentivar a vacinação contra o HPV (seguindo as mesmas indicações que em MSH).
  5. Incentivar ao recurso a serviços de saúde caso existam sinais/sintomas de uma IST.
  6. Abordar da mesma forma que qualquer mulher uma MSH com sinais e sintomas de uma IST.

N.B.: Apesar da vaginose bacteriana ser comum em MSM, não está recomendado nem o seu rastreio nem o tratamento de parceiros/as de mulheres com vaginose bacteriana.

Bibliografia:

  1. Gorgos LM, Marrazzo JM. Sexually Transmitted Infections Among Women Who Have Sex With Women. Clin Infect Dis. 2011;53(suppl 3):S84-S91. doi:10.1093/cid/cir697.
  2. Tat SA, Marrazzo JM, Graham SM. Women Who Have Sex with Women Living in Low- and Middle-Income Countries: A Systematic Review of Sexual Health and Risk Behaviors. LGBT Heal. 2015;2(2):91-104. doi:10.1089/lgbt.2014.0124.
  3. Fethers K, Marks C, Mindel A, Estcourt CS. Sexually transmitted infections and risk behaviours in women who have sex with women. Sex Transm Infect. 2000;76(5):345-349. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11141849. Accessed February 20, 2017.
  4. Cox P, McNair R. Risk reduction as an accepted framework for safer-sex promotion among women who have sex with women. Sex Health. 2009;6(1):15-18. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19254487. Accessed February 20, 2017.
  5. Molin S-B, De Blasio BF, Olsen AO. Is the risk for sexually transmissible infections (STI) lower among women with exclusively female sexual partners compared with women with male partners? A retrospective study based on attendees at a Norwegian STI clinic from 2004 to 2014. Sex Health. 2016;13(3):257-264. doi:10.1071/SH15193.

Júlia Machado Ribeiro
Mafalda Logarito de Vasconcelos (revisão)

A autora escreve de acordo com o antigo acordo ortográfico